Prefeitura de Campo Novo realiza campanha para ensinar as crianças a se proteger de violência e abuso sexual

Hoje, dia 18 de Maio, é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, portanto, a Prefeitura Municipal de Campo Novo do Parecis, através das Secretarias de Educação, Assistência Social e organizados pelo CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) juntamente com o Conselho Tutelar, iniciaram a Campanha Faça Bonito na cidade de Campo Novo do Parecis, onde escolas, instituições públicas, privadas e estaduais abordaram o tema.

Continua depois da publicidade



O CMDCA- Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, juntamente com o Conselho Tutelar de Campo Novo do Parecis, trabalha para fortalecimento das politica publicas direcionadas às crianças e adolescentes, realizando um trabalho de prevenção com nossas crianças e adolescentes do município de Campo Novo do Parecis. Foi realizada uma capacitação com todos os professores da rede municipal, estadual, particular, IFMT, ONGs e rede de atendimento a criança e adolescente, onde foi detalhado o assunto do abuso sexual, nas áreas psicológicas, jurídicas e pedagógicas, informando os sinais, o que fazer, a quem denunciar, o que acontece juridicamente com o denunciante e agressor. Após esta capacitação, os professores trabalharam em sala de aula e hoje, dia ‘D’, apresentaram a comunidade os trabalhos realizados pelas crianças, com cartazes, murais, musicas, teatros e palestras, ao visitar as escolas se percebe nitidamente que alcançamos nosso objetivo que é preparar a criança, lhe ensinando seus direitos e a quem recorrer caso aconteça.

Entre os dias 09 e 18 de maio, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) realizou vários encontros com a temática sobre o 18 de maio. Na ocasião, a temática foi desenvolvida pelas orientadoras sociais juntamente com a equipe técnica do CRAS, com participação especial da equipe do Conselho Tutelar. A Primeira Dama Preta Casagrande também esteve no CRAS Girassol acompanhando os procedimentos.

Em alguns pontos da cidade, onde há rotatórias e jardins, é possível ver o tema do #FaçaBonito, onde foi colocado várias flores amarelas, simbolizando esse dia e a Campanha que é muito importante para todas as crianças da cidade. Portanto Faça Bonito, denuncie, vamos proteger nossas crianças.

O dia 18 de Maio – “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, instituído pela Lei Federal 9.970/00, é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e que já alcançou muitos municípios do nosso país.

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A proposta anual da campanha é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes envolve vários fatores de risco e vulnerabilidade quando se considera as relações de gênero, de raça/etnia, de orientação sexual, de classe social, de geração e de condições econômicas. Nessa violação, são estabelecidas relações diversas de poder, nas quais tanto pessoas e/ou redes utilizam crianças e adolescentes para satisfazerem seus desejos e fantasias sexuais e/ou obterem vantagens financeiras e lucros.

Nesse contexto, a criança ou adolescente não é considerada sujeito de direitos, mas um ser despossuído de humanidade e de proteção. A violência sexual contra meninos e meninas ocorre tanto por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal como na exploração sexual. Crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, por estarem vulneráveis, podem se tornar mercadorias e assim serem utilizadas nas diversas formas de exploração sexual como: tráfico, pornografia, prostituição e exploração sexual no turismo.

 

Fonte/Agência: DECOM | Caio Marques

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.